quarta-feira, 4 de julho de 2012

RN: Governadora decreta estado de calamidade na saúde pública do RN

Durante entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, a governadora Rosalba Ciarlini decretou estado de calamidade na saúde pública do RN, através do Plano de Enfrentamento para os Serviços de Urgência e Emergência elaborado pelo Governo com o apoio de instituições prevê o investimento total de R$ 32 milhões em várias unidades de saúde do Estado e já foi aprovado pelo Governo Federal.
“Esse problema não é isolado do Estado, é crônico, vem de muito tempo com soluções temporárias, mas agora estamos agonizando”, afirmou a governadora. Rosalba espera que com a ação sejam aceleradas medidas de reestruturação da rede hospitalar. O estado de clamidade terá duração de seis meses.
O Plano de Enfrentamento apresentado pelo coordenador do SAMU, Luiz Roberto Fonseca prevê investimento de R$ 12 milhões do Ministério da Saúde para o Walfredo Gurgel, Maria Alice, Santa Catarina e Deoclécio Marques.  Também será solicitada força-tarefa do MS para zerar filas de cirurgias ortopédicas, além de lançamento de parceria público-privada para construção de um novo hospital de trauma.
Também serão investidos pelo Governo Federal R$ 4,7 milhões para criação da Central de Regulação Única. De recursos próprios do Governo serão investidos R$ 13 milhões para reforma e ampliação de unidades de saúde do Estado. Também deverá ser repassado R$ 600 mil por mês para custeio dos hospitais, sendo R$ 300 mil para o Walfredo.Para o abastecimento dos hospitais serão repassados R$ 5 milhões.
Com relação a novos leitos, devem ser criados de imediato 60 novos leitos no HUOL, além de mais 100 com repasse do Ministério da Saúde, e ampliação dos leitos do João Machado e Ruy Pereira.
O Plano também prevê implantação de 63 novos leitos de UTI, ampliação do Samu para 72% do Estado, além da habilitação do helicóptero Potiguar 1 para operações de salvamento e licitação para UPA de São Gonçalo.
Para os profissionais de saúde deverão ser publicadas as escalas dos médicos do Estado e adoção do ponto eletrônico, além da convocação dos servidores que estão cedidos a outras instituições.

Fonte: DN Online
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário